Realeza, 11 de December de 2018 - Paraná - BR

Notícias

Autor: Admin

DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA, COM A UNIÃO DE TODOS PODEMOS VENCER ESSA LUTA

Em um levantamento realizado pela Secretaria Estadual de Saúde do Paraná, constatou-se que dos 399 Municípios do Estado, 315 encontram-se infestados pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da zika e da febre chikungunya. 
Segundo o site da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná – SESA (http://www.saude.pr.gov.br),  o dado é preocupante, pois revela que OITO (8) em cada DEZ (10) municípios paranaenses já registram a presença do Aedes aegypti em dependências domiciliares. “Se há o mosquito, também existe o risco concreto de haver casos de dengue. Por isso, o momento é de alerta e todo o cuidado é pouco quando se trata desta doença”, ressaltou o Secretário Estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.
            O Município de Realeza encontra-se entre os 315 Municípios infestados pelo mosquito Aedes Aegypti. No ano de 2016 somaram-se 362 notificações de dengue, sendo 91 positivas e destas 5 casos importados, 224 negativas e 42 sem resultados (os casos que não possuem resultado são dos pacientes notificados que não procuraram a Secretaria Municipal de Saúde para realizar o exame e confirmar ou descartar o caso).
            Ainda no ano de 2016, o Município também obteve um total de 32 notificações de Zika, sendo 02 casos positivos autóctones (que foram adquiridos dentro do Município), e 30 casos negativos. Além de 5 Notificações de Febre do Chikungunya , sendo 04 negativas, nenhuma positiva e um caso sem resultado, onde o notificado não compareceu para a realização do exame de diagnóstico.
            Até o Momento o Município já apresenta 07 notificações de dengue, que aguardam resultado de exames para descartar ou confirmar os casos. A Coordenadora da Dengue de Realeza, Camila Viana, afirmou que a secretaria de Saúde esta em alerta para os casos de dengue, Zika e Febre do Chikungunya, e devido o aumento de larvas encontradas pelos Agentes de combate a Endemias e os Agentes Comunitários de Saúde, além do clima e a temperatura estar favorável para a proliferação do mosquito, com chuvas constantes e aumento de temperatura, a Secretaria de Saúde esta realizando ações para evitar uma epidemia destas doenças.
As ações para o controle da proliferação do mosquito não pararam nem mesmo das férias, pois as Agentes mantiveram-se trabalhando realizando as visitas diárias. Para o início deste ano de 2017, intensificamos as ações, onde esta semana realizamos visitas nas comunidades do interior, sábado (28/01) teremos uma atividade de panfletagem, para sensibilização da população, durante a próxima semana estaremos realizando o levantamento de índice com intuito de averiguar a quantidade de larvas e mosquitos que encontram-se no Município, e na semana do dia 6/02 estaremos realizando um arrastão de limpeza em toda a cidade. Além do recolhimento de pneus em borracharias, pontos estratégicos e domicílios.
            A Secretária Municipal de Saúde, Eliete Pimenta, mencionou a preocupação com epidemias em relação às doenças acometidas pelo mosquito Aedes Aegypti. “ Mesmo sem apresentar casos positivos de dengue, a Secretaria Municipal de Saúde, já se organizou para realizar ações em combate ao mosquito Aedes aegypti, pois o índice de infestação do mosquito teve um grande aumento e estamos muito preocupados com uma nova epidemia de dengue, um aumento nos casos de zika vírus, visto que ano passado o vírus já circulou em nosso Município com dois casos diagnosticados. Também estamos preocupadíssimos que haja a introdução do vírus da Febre da Chikungunya em nosso Municípios, considerando que as sequelas desta doença podem debilitar o paciente infectado por até um ano.”
             A Secretária de saúde lembrou o fato da importância da ajuda da população em eliminar os focos de água parada. “Sem a ajuda da população não teremos força para eliminar o mosquito, só as agentes não conseguem estar em todas as casas todos os dias, por isso é importante a conscientização da população, todos podemos tirar 15 minutos por semana e olhar os pátios, os vasos de plantas, os ralos das lavanderias e banheiros e as calhas das casas. Com a ajuda de todos podemos evitar uma nova epidemia de dengue, de zika ou de Chikungunya”